quarta-feira, 2 de maio de 2012

Por uma outra comunicação – midia, mundialização cultural e poder.


Ramonet pontua a proximidade entre o mundo da comunicação, o mundo da publicidade e também o mundo que poderíamos denominar cultura de massas, que se deu através da revolução digital. Com a internet crescendo essas três esferas se englobam em apenas uma. O autor destaca que a internet não é capaz de se distinguir entre um texto, imagem e som, pois é a revolução digital na essência. Segundo ele, estamos em um contexto no qual devemos pensar globalmente.
Ramonet aponta algumas características que podemos encontrar na informação, pois para ele a informação atualmente é considerada mercadoria, com o objetivo de obter lucros. E para isso, a informação é passada de forma cada vez mais rápida, não havendo tempo para estudar determinado assunto.
Para o autor o discurso da informação, da publicidade ou da cultura de massa possuem retoricamente as mesmas características, que são elas: uso da simplicidade, rapidez, uso da dramatização e espetacularização. Ou seja, o discurso que recebemos é um discurso infantilizante.
Num âmbito geral, a questão levantada e discutida, a qual hoje, não temos uma resposta definida é: porque a comunicação vem se degradando e se simplificando dia a dia, a medida que a sociedade está, ou deveria estar mais critica? Quem faz a noticia e com quais critérios?
Para Ramonet, possuir a verdade não é suficiente. O mundo da comunicação não deve abster ser somente ao que o povo/massa quer, ou ao que achamos que eles querem. Para desenvolver um trabalho de comunicação bem sucedido é necessário, além de muitas outras coisas, possuir técnica.

Comunicação Social - Jornalismo 3º período
Grupo: Ariane Priori, Bianca Santos e Samara Macedo

Nenhum comentário: